Halloween V – A Vingança de Michael Myers (1989)

Após Halloween 4 conseguir revitalizar a franquia trazendo o psicopata mascarado Michael Myers de volta as telas do cinema, uma continuação era quase garantida, ainda mais com o cliffhanger deixado ao final do filme. Dessa forma em 13 de outubro de 1989 a quinta parte da franquia voltou aos cinemas para contar mais um episódio da saga do psicopata Michael Myers.

O filme começa com uma cena de flashback explicando como Michael sobreviveu aos eventos finais da quarta parte. Ao cair em uma mina e ser enterrado vivo, Michael cavou pela terra até conseguir chegar a um rio próximo a uma velha cabana de pescador e antes que pudesse matá-lo, desmaiou. Furo no roteiro ou não, Michael só ataca no Halloween então durante o período de um ano ele permeasse em estado de coma sob os cuidados do pescador. Como eu disse antes, baita furo esse, até porque é intrigante imaginar que o pescador decidiu não avisar as autoridades, nem o levar ao médico, optando por simplesmente cuidar de Michael. Uma curiosidade é que em uma das versões do roteiro, Michael realmente teria morrido durante os eventos da quarta parte, só que nesta versão o pescador teria um papel muito mais importante na trama, nela ele seria apelidado de Dr. Morte e teria resgatado Michael de sua cova com a intenção de ressuscita-lo através de um ritual utilizando runas druidas.

Também é fã da franquia Halloween? Então não deixe de conferir nossos outros artigos da franquia:

Falando em cliffhanger, lembra do deixado no final da quarta parte? Então, aqui ela finalmente tem uma resolução. O filme começa com um salto temporal de um ano, nele descobrimos que Jamie (Danielle Harris) realmente atacou sua madrasta, mas não a matou, então devido aos acontecimentos a garota é internada em um hospital psiquiátrico sob os cuidados de ninguém menos do que o Dr. Loomis (Donald Pleasence). Um fato interessante relacionado a esse plot foi que na versão inicial do roteiro Jamie realmente teria assassinado sua madrasta tornando-se a substituta de Michael, daqui por diante, entretanto a ideia foi abandonada posteriormente porque os roteiristas não queriam transformas uma garotinha de nove anos em uma assassina psicopata.

A pequena Jamie ainda tem pesadelos com seu tio psicopata.

A véspera do Halloween chega, Michael acorda, pega a sua máscara e faz a sua primeira vítima, o pescador que o ajudara durante todo o ano que passara. Enquanto o assassinato acontece, Jamie vê tudo, neste momento o filme deixa implícito que a garota possui algum tipo de ligação psíquica com seu tio, ligação essa que permite Jamie ver tudo aquilo o que Michael faz.

Um detalhe interessante, nesta cena é a primeira aparição da marca de Thorn em forma de tatuagem no pulso de Michael, símbolo esse que no filme seguinte ganharia uma grande importância.

Primeiro deslumbre da marca de Thorn no pulso do Michael.

Primeiro deslumbre da marca de Thorn no pulso do Michael.

Voltando para Haddonfield, Rachel (Ellie Cornell) vai visitar Jamie no hospital, então é nesta cena que conhecemos a personagem Tina (Wendy Kaplan), melhor amiga de Rachel e nova protagonista do filme. Curiosamente Tina não teria uma presença muito marcante no filme, entretanto devido a saída da atriz Ellie Cornell durante as gravações a personagem acabou ganhando mais destaque. Sobre a saída de Cornell da produção, não se sabe ao certo a razão, porém na época de lançamento do filme circulavam boatos que a atriz estava “cansada” de emedar trabalhos um nos outros, dessa forma ela teria decidido abandonar a produção para se dedicar a sua vida pessoal. Porém contradizendo o boato da época, durante uma entrevista para o documentário “Halloween 4, 5 & 6 Documentary” de 2013 Cornell afirmou, que a morte de sua personagem, foi escolha do diretor e não sua.

Enquanto isso no cemitério da cidade o caixão de uma criança é desenterrado e levado por alguém. Acontecimento esse que faz Loomis ficar apreensivo e começar a suspeitar que Michael pode estar de volta. No meio de toda essa confusão, um misterioso homem vestindo roupas pretas chega a cidade.

Um misterioso homem vestindo roupas pretas chega a cidade, quem será ele?

Na noite do dia 31 de outubro Tina e seus amigos pretendem ir até uma festa de Halloween, então como já era de se imaginar Michael a segue e promove uma chacina. Dessa forma com a ajuda de seus “poderes” psíquicos Jamie e seu amiguinho, Billy, vão até a festa para salvar Tina. As crianças chegam a tempo e conseguem salvar a jovem, mas isso não impede de Michael iniciar uma perseguição de carro, onde Myers tenta atropelar sua sobrinha.

A perseguição acaba resultando em um acidente que acarreta na explosão do carro, Michael sai intacto do veículo, mas Tina fica gravemente ferida. Neste meio tempo Jamie e Billy conseguem fugir para a mata, mas são logo encontrados por Loomis e por policias, que estavam fazendo uma busca atrás das crianças no local.

Nesta mesma cena vemos Loomis negociar com Michael, o psiquiatra promete entregar Jamie ao psicopata sob a condição de ambos se encontrarem na antiga casa dos Myers. Calma! Loomis não enlouqueceu, tudo não passa de um plano da polícia para capturar Michael. Dessa forma Loomis faz com que Jamie aceite ser a “isca”, assim ambos partem rumo a casa dos Myers para esperar a chegada do psicopata.

Loomis tenta negociar com Michael.

Tudo aparentava estar sobre controle, porém um incêndio no hospital faz os policiais se deslocarem para o local deixando apenas o doutor, Jamie e um policial na casa. Com a chegada de Michael a casa, Loomis tenta convencê-lo a não matar a menina, mas não adianta, o assassino se enfurece e ataca ferindo gravemente o pobre doutor. O policial luta, mas também não dura muito tempo numa briga contra Michael, então acaba sobrando apenas a pequena Jamie.

Em uma tentativa desesperada, a garota sobe até o sótão, mas acaba se depara com o corpo morto de Rachel e um caixão de criança (o mesmo que tinha sido roubado do cemitério). Neste momento Jamie não encontra alternativa senão deitar no caixão, em quanto Michael se prepara para matá-la. Neste momento a menina pede para ver o rosto do tio. Ele tira a máscara e vemos lágrimas descerem pelos olhos do vilão. Não vemos o rosto de Michael completamente, mas dá para perceber que ele não é um deformado nem está desfigurado.

Pela segunda vez na franquia podemos ver parte do rosto do Michael, desta vez interpretado por Don Shanks.

Aproveitado o momento de fraqueza do tio, Jamie consegui fugir. Neste mesmo momento Loomis reaparece revelando que não havia morrido, ele então pega a menina e a usa com isca para atrair Myers até a sala. Lá, Loomis dispara a armadilha soterrando Michael sobre uma rede de correntes seguindo por disparos de dardos tranquilizantes que derrubam e imobilizando o assassino. Em seguida a cena mais inusitada de toda a franquia acontece (ou talvez de qualquer outro filme de terror do gênero serial killer), a polícia chega no local e leva Michael preso.

Loomis consegui disparar uma armadilha soterrando Michael sobre uma rede de correntes.

Quando tudo parecia que ir terminar bem, um homem usando roupas pretas entra na delegacia, mata todos os policiais e liberta Michael. O filme acaba com Jamie andando pela delegacia destruída e vendo os corpos dos policiais espalhados pelo local.

Apesar dos furos no roteiro e situações clichês características desde tipo de filme, Halloween V – A Vingança de Michael Myers continua a saga do assassino Michael Myers. Destaco a atuação da pequena Danielle Harris que interpreta Jamie Lloyd de forma brilhante, a atriz mirim faz um excelente trabalho na hora de transmitir sensações de medo, pânico e desconforto aos telespectadores. O excêntrico Donald Pleasence novamente é um dos destaques da película, desta vez interpretando um Dr. Loomis muito mais apreensivo e paranoico.

Agora falando sobre os problemas do filme, fica evidente que em determinados momentos a tentativa dos roteiristas em acrescentar elementos que serviriam como uma preparação para o que estaria por vir em um filme futuro (a marca de Thorn e o homem de preto, por exemplo). Porém o maior problema com tudo isso foi a impressão que os produtores estavam mais interessados em criar uma mitologia para ser explorada posteriormente do que se concertar e contar uma história de terror propriamente dita.

Outro grave problema de continuidade é a máscara usada pelo nosso assassino, devido ao plot estabelecido pelo filme ela deveria ser a mesma da película anterior, entretanto é evidente que ela é completamente diferente de qualquer outra já usada, aqui a mudança incomoda e causa estranhamento.

Halloween V pode não ser o melhor filme de terror do mundo, mas faz o seu trabalho, entretendo e divertindo o telespectador.

Também é fã do Michael Myers? Então não deixe de compartilhar o artigo no Facebook e deixar sua opinião aqui nos comentários.

Nota: 3/5

Faça um comentário