Halloween 6 – A Última Vingança (1995)

Depois da baixa recepção do quinto episódio da saga de Michael Myers os produtores começaram a repensar seus planos para a franquia, até porque estamos entrando na década de noventa, na qual personagens como Jason Voorhees e Freddy Krueger não assustavam mais ninguém, muito menos atraiam multidões para o cinema.

Halloween 6 – A Última Vingança começou a ser produzido em 1990, mas só 5 anos depois consegui ser finalizado. A demora aconteceu por causa de diversos problemas com o roteiro, que foi reescrito onze vezes até chegar no “frankenstein” exibido nos cinemas. Para piorar a situação, o ator Donald Pleasence acabou falecendo durante as refilmagens prejudicando a montagem e desenvolvimento do filme.

Aqui no Brasil o filme chegou com o subtítulo de “A Última Vingança”, entretanto conforme o título original sugere (The Curse of Michael Myers ou na tradução literal A Maldição de Michael Myers) A proposta era abordar como o assassino adquiriu seus “poderes”. Sabe aquelas habilidades legais como imunidade e regeneração instantânea que todo vilão de filme de terror possui? Michael conseguiu seus poderes após ser amaldiçoado pela Maldição de Thorn, um ritual druida que visava oferecer sacrifícios de sangue para garantir a prosperarão da sociedade.

Para contextualizar o cenário do filme é necessário voltarmos para o final da quinta parte, onde Jamie e Michael são sequestrados pelo “homem de preto”. Seis anos se passam e desde então ninguém ouviu falar dos dois, ambos simplesmente evaporaram.

O filme abre com uma cena confusa mostrando uma mulher grávida sendo levada para algum tipo de seita, onde ela entre em trabalho de parto e dá à luz a um menino. Descobrimos que a mulher misteriosa na verdade é Jamie (agora interpretada por J. C. Brandy), que com a ajuda de uma das enfermeiras, consegue fugir junto com o bebê, mas não demora muito para Michael aparecer e sair atrás dela. Algumas cenas depois, Jamie chega até uma rodoviária onde liga a rádio local para pedir ajuda, mas não consegui. Sabendo que Michael está perto, Jamie esconde o bebê, mas logo em seguida acaba sendo morta por Michael.

Sim meus amigos! Jamie Lloyd a protagonista dos últimos dois filmes é morta nos primeiros dez minutos de filme, lamentável…

A nova máscara usada por Michael é sensacional! Provavelmente essa é a mais fiel a original desde o segundo filme.

Com a morte de Jamie, somos apresentados aos protagonistas, que além de contar com o retorno de Dr. Loomis (Donald Pleasence) contamos com Tommy Doyle (Paul Rudd), o garoto que Laurie cuidou na noite em que foi atacada por Michael no primeiro Halloween, Kara (Marianne Hagan) e seu filho Danny.

Voltando ao bebê, quem encontra ele é Tommy, que ouviu Jamie falando no rádio antes de morrer. Ele tenta levar a criança ao hospital, mas não consegue e acaba levando-o para casa. Por conta disso, no dia de Halloween, Michael vai atrás dele, tentando recuperar o bebê.

Em terminado momento Tommy explica a Kara a razão pela qual Michael está em busca do recém-nascido. Conforme palavras do próprio personagem “entre os druidas antigos, Thorn, representava um demônio que espalhava doenças e trazia morte a centenas de pessoas. De acordo com a lenda, uma criança de cada tribo era escolhida para ser atingida pela maldição para oferecer sacrifícios de sangue de sua própria espécie na noite de All Hallow Eve”. Ainda segundo a passagem “o sacrifico de uma família significava salvar a vida de uma tribo inteira”. Tommy ainda complementa que “o símbolo Thorn na verdade é uma constelação de estrelas que aparece somente durante as noites de Halloween, quando ela aparece ele aparece”.

O computador de Tommy mostra runas antigas.

O filme segue novamente a mesmíssima fórmula dos anteriores, Michael vai fazendo vítimas pela cidade enquanto Tommy, Kara e Dr. Loomis tentam impedi-lo. O clímax do filme acontece quando descobrimos os responsáveis por controlar a seita satânica, que são na verdade as mesmas pessoas que controlam o hospital psiquiátrico Smith’s Grove, sendo Dr. Wynn (o mesmo do primeiro filme) o responsável.

Aqui o mistério do “homem de preto” finalmente tem um fim, é revelado que ele é na verdade ninguém menos do que o Dr. Wynn.

Dr. Wynn na verdade era o misterioso homem de preto!

Os momentos finais do filme acontecem no próprio Smith’s Grove onde muitos segredos são revelados, mas apesar disso poucas coisas são realmente aprofundadas e explicadas. Assim, a película se arrasta até um final confuso, encerrado sem deixar grandes brechas para uma continuação, mas como todos já devem saber isso não foi o que aconteceu, até porque três anos depois teríamos mais uma sequência da franquia nos cinemas.

Uma curiosidade que pouca gente sabe é que devido a extrema censura que o filme recebeu durante a época do seu laçamento, foram criadas duas versões. Na versão exibida nos cinemas, a equipe do hospital Smith’s Grove, estavam interessados ​​em colher e reproduzir o DNA de Michael para continuar a maldição, em vez de seguir a abordagem tradicional do culto de encontrar um novo receptáculo.

Fica implícito que Dr. Wynn e sua equipe se separaram do resto do culto para estudar Thorn em um nível genético. Dessa froma o sanatório Smith’s Grove teria usado pacientes mulheres da instituição para suas experiências, provavelmente através de fertilização in vitro, como evidenciado pelos fetos no laboratório. O filho de Jamie, Steven, é o resultado dessas experiências, e o Dr. Wynn explica que o sanatório usará Michael, Danny e Steven para criar novas crianças para serem infligidas por Thorn para que a maldição se perpetue para gerações futuras. Isso não fica claro, entretanto podemos supor que nesta versão Kara pode ter sido sequestrada, para que o culto possa continuar seus experimentos com ela utilizando os genes amaldiçoados de Danny, como já havia acontecido anteriormente com Jamie. – É um pouco confuso, mas se você forçar a barra até que faz sentido.

Parte do ritual de Thorn.

Já na versão do diretor, a equipe do hospital Smith’s Grove é de fato druidas compostos por residentes de Haddonfield. Nesta versão, Steven seria o sacrifício final de Michael para que a maldição pudesse ser transferida para Danny. Além disso, um flashback mostraria que Steven foi concebido pelo culto, onde Jamie havia sido estuprada por Michael, e não por inseminação artificial como a versão oficial sugere.

Halloween 6: A Última Vingança é um filme que nem mesmo Michael Myers merecia. Por muitos fãs ele é considerado como pior da franquia, mas apesar te tudo isso não significa que ele não tenha alguns pontos positivos. Destaco o último trabalho do ator Donald Pleasence antes de morrer e a estreia do novato Paul Rudd (nosso querido homem formiga) nos cinemas. Outro ponto super positivo fica por conta da máscara usada por Michael, provavelmente essa é a mais fiel a original desde o segundo filme.

Também é fã do Michael Myers? Então não deixe de compartilhar o artigo no Facebook e deixar sua opinião aqui nos comentários.

Nota: 3/5

Faça um comentário